On 19:00 by Koji Sakamoto   No comments
Se quero consertar o motor de um carro, preciso saber como ele funciona. Da mesma maneira, minha reforma pessoal passa primeiro pelo saber.
Há três aspectos que determinam o rumo de qualquer indivíduo, e eles são completamente interdependentes. Eu preciso entender:
  •  O que POSSO FAZER de acordo com meu POTENCIAL: 
Este aspecto está relacionado com minha força inata, grau de inteligência, habilidades e Know-how.
  • O que VOU FAZER de acordo com minha VONTADE: 
Este aspecto está conectado com meu estado emocional, crenças e valores.
  •  O que FAZER de acordo com minha MISSÃO PESSOAL:
Este aspecto diz respeito ao poder da visão e da sabedoria espiritual.
 
 Uma vida bem-sucedida é um exercício interativo e equilibrado destes três fatores. A missão pessoal definida orienta o uso preciso do meu potencial pessoal. A vontade dá o impulso necessário para implementar a missão pessoal. Se tenho só dois ou mesmo um desses aspectos, a possibilidade de me organizar toma-se mais remota.
Sem senso de missão pessoal, o potencial e a vontade irrompe numa espécie de hemorragia existencial, que mata a minha felicidade.
o exercício da minha vida não é inconsequente. Ela tem as suas recompensas, mas eu tenho que estabelecer metas e fazer com que elas aconteçam.
Quando se usa uma lupa para focalizar os raios do sol, é gerado um calor intenso, capaz de queimar madeira ou papel. Da mesma forma, com o meu potencial e vontade focalizados através da lupa do meu propósito ou missão de vida, consigo gerar muita força.
Existe um princípio básico em tudo. Antes de partir, devo saber onde estou indo e para quê. O Problema é que, quando estou em meio ao furacão de dificuldades, raramente penso sobre minhas verdadeiras metas. Simplesmente, perco-me ainda mais em fazer as coisas sem pensar em minha direção de vida. As atividades familiares, profissionais e sociais ficam "pipocando" de tal maneira que não resta nem tempo para pensar se posso fazer as coisa de uma maneira diferente.
A grande lição de sabedoria é que só vou mudar de comportamento quando minha percepção da situação mudar. Tal entendimento sempre surge de um forte senso de missão. A seguinte história é verídica:
“Aconteceu na nau capitânia durante as manobras da frota em alto-mar. Todos os navios se separaram para os exercícios. Um pouco antes do entardecer, o tempo piorou consideravelmente e a visibilidade ficou quase zero.
De repente, uma mensagem chegou do vigia: ‘Capitão, há uma luz piscando a estibordo’. O capitão perguntou se a luz se mantinha estável ou se estava se distanciando. O vigia respondeu. ‘Se mantenha estável, senhor’. O Capitão entendeu o perigo e mandou uma mensagem para o outro navio, dizendo: ‘Estamos na rota de colisão. Favor mudar seu percurso em vinte graus’.
Uma mensagem foi recebida como resposta: ‘É melhor vocês mudarem seu percurso em vinte graus, imediatamente’. O Capitão pensou que o outro não sabia quem ele era e transmitiu outra mensagem ‘Eu sou um Capitão, favor mude seu percurso em vinte graus’. Voltou uma outra mensagem: ‘Eu sou marinheiro de Segunda classe, favor mude seu percurso em vinte graus, senhor’.
Isto foi demais de impertinência para o Capitão, que mandou sua mensagem final ‘Somos a nau capitânia da frota, mude seu percurso imediatamente em vinte graus’. Então, voltou uma mensagem, ‘Senhor, somos um farol’.
O Capitão engoliu seu orgulho e mudou o percurso.”
 Há muitas luzes e sinais piscando em toda a nossa volta. Certamente, necessito entender algo diferente sobre o mundo ao meu redor para poder agir de forma firme e forte.

0 comentários:

Postar um comentário